quinta-feira, 11 de agosto de 2011

FIM DE TARDE NA PRAIA - MOMENTOS SAGRADOS


Ontem estava com o meu filho e os meus primos no Mindelo e de tarde todos quiseram ir para uma piscina em vez de ir para a praia. Eu perguntei: Então vou para a praia sozinha? E a minha prima respondeu: E não é como tu gostas? De ir sozinha?..E de facto é. Eu gosto muito de ir acompanhada mas também gosto muito de ir sozinha. E o fim de tarde na praia é, sempre foi, um momento práticamente sagrado para mim. E não troco o mar por nada. Se tiver o mar perto não entro de certeza numa piscina.

E lá fui. Eu, os phones e a Pink.

Durante a tarde fui tendo momentos tocantes...porque estava mesmo à frente da casa da minha amiga Laura, onde foi a festa em que fiz de DJ, e resolvi ouvir a música com que abriu a "pista de dança"- dos Alan Parsons Project - Eye in the Sky. E não estava à espera de sentir Jesus a chegar com essa música...as lágrimas começaram logo a cair e então é reparei bem na letra da música: "I am the eye in the sky, looking at you, I can read your mind..."...

Já recomposta, ao fim da tarde estava a olhar para o mar cor de prata e lembrei-me de Jesus ter dito uma vez à Alexandra que nós nos auto-restringiamos, que nos auto-limitavamos muito e que nem sequer olhavamos para o mais longe no horizonte, e neste momento eu tentei olhar para o mais longe possível e de repente Jesus voltou a aparecer...bem lá no fundo...onde o céu toca a àgua...o embate emocional quando isto acontece é sempre fortíssimo. E acho que até agora impossível de descrever por palavras. E mais uma vez Lhe disse, como sempre faço, que O escolhia. Que O escolhia, aonde quer que isso me levasse. E Ele respondeu: já te levou ao mais longe de onde se pode chegar: a tocar o coração do Homem.

A emoção foi brutal, mas eu compreendi o que me estava a querer dizer. Não que eu tenha chegado ao mais longe de onde se pode chegar, claro que não, nem pouco mais ou menos, mas que já fui mais fundo do que poderia imaginar. No sentido que fui mais fundo dentro de mim mesma e conheci energias que fazem parte de mim, que desconhecia. E que quanto mais me conheço, mais conheço os outros. E por isso se sentem mais compreendidos. Mais aceites. Mais amados. Mais tocados.

E não conto isto no sentido egóico (espero eu) mas sim porque o entendo como benção. Não um dom. Mas uma benção. Por nos dispormos a percorrer o nosso caminho. Com tudo o que isso implique. E que às vezes é até extremamente difícil. Mas sempre, sempre, altamente compensador. Daí a minha constante gratidão.

A seguir senti-me a ser puxada muito para cima, como se estivesse a ser pegada por debaixo dos braços e ouvia: Larga, larga tudo...E dizia-me isso, para eu poder subir mais alto, em frequência de vibração, porque quanto mais nos desprendermos e desapegarmos daquilo e daqueles a que nos agarramos, mais leves ficamos e mais alto subimos...

E o desapego não tem nada a ver com o Amor. Desapegar não é deixar de amar. Desapegar é deixar de depender. E por dependência, por medo, mantemo-nos agarrados a pessoas e coisas...Quando simplesmente amamos, respeitamos a nossa liberdade e a deles...e já não queremos prender...o que tem sido das maiores e mais difíceis lições que tenho aprendido. E que ainda estou a tentar praticar.

4 comentários:

Lurdes disse...

Que bonito!
Tocou-me muito...
Até porque tenho sentido que às vezes fujo da luz... E sinto uma tristeza. Tudo faz parte da caminhada. Importante é caminhar e estimular o amor que muitas das vezes se deixa adormecer. O meu vivia um sono profundo, que o ignorei. Pensava que já nem existia.
Foi tão bonito o seu despertar. Com a ajuda dessa luz fortíssima, senti-me renascer. Pensava que o amor era o apego, hoje percebi depois de tanto sofrer, que desapegar é não depender, e ama-se mais profundamente, o puro amor.
A tua foto está tão bonita. O teu texto está com uma energia, ao mesmo tempo de solidão, e tanta gratidão, companhia, que de certo não existirá nenhum momento em que a sua energia não te sorria.
Um grande abraço
E lembrei-me deste vídeo...
http://www.youtube.com/watch?v=TbGUrNtoRC4&feature=related

Olinda Cristina disse...

Lurdes...o bom é que sei que acreditas em mim...porque é incrível a coincidência...como é sempre entre nós...é que quando estava a escrever estava a ouvir esta música do Moby...precisamente esta!!!! Em repeat. Sabes o quanto gosto de ti, não sabes? Obrigada por estares sempre aqui e beijo enorme, minha amiga.

Olinda Cristina disse...

E se tenho uma foto e a foto está linda é graças à tua Pink...

Lurdes disse...

Alem de escritora, dj, etc.... És uma fotografa impresionante... Porque essas fotos para mim, sinto-o... São uma dadiva do céu... Bj Gd e Ele sabia que a pink tem uma missão... Só não percebi porque me escolheu... Mas aceito e adorei a foto mesmo. Bj