segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

FREEDOM


.

Há dias estava a conversar sobre liberdade. E fiquei a pensar sobre a liberdade que fui conquistando nos últimos anos. Depois pensei que na verdade não foi conquistada. Foi mais uma proposta da vida.

Porque em boa verdade quando era jovem eu não queria liberdade nenhuma. Eu queria era segurança e conforto. Por isso, quando seguir psicologia implicava arriscar na àrea de ciências, e sociologia implicava ir viver e estudar sozinha para Braga ou Lisboa, eu optei por ficar no conforto do lar e entrar em Direito para frequentar a mesma universidade onde já andava o namorado de tantos anos. Tudo tranquilo.

Nem importou que Direito fosse o ultimo curso que eu quisesse tirar...

Depois o casamento. Tinha dúvidas? Sim, mas o melhor era não levantar ondas...afinal gostavamos tanto um do outro e namoravamos há tantos anos...

Sempre tudo tão seguro...tão direitinho...tão previsível...

Mas eu tinha nascido para viver e tinha medo da vida. Como não consegui escolher mudar a vida, a vida escolheu tirar-me o medo. E começou a cilindrar-me.

Primeiro foi o divórcio. Lá se foi a segurança. Até no supermercado chorava porque não estava habituada a fazer compras sozinha e só com o meu dinheiro.

Viver sozinha com o meu filho, e ele que não gostava nada porque estarmos só os dois o fazia lembrar que o pai não estava.

Depois foi comprar casa sozinha.

A seguir era preciso aprender a trabalhar sozinha. Ok. Assim fiz.

O pior foi quando "ouvi" que era preciso passar à fase seguinte: se queria entrar no meu caminho tinha que acabar o que nunca devia ter começado: fechar o escritório. Achei que não ia ser capaz, chorei até cair no chão...Como é que ia viver sem ter outro trabalho ainda, sem ganhar dinheiro? Como é que me ia sustentar a mim e ao meu filho? Mas percebi que tinha que ser. Acabei de chorar e ainda fiz um telefonema a propôr-me para recepcionista num sitio onde já se trabalhava nas àreas que me seduziam. Não me deram esperança. Mesmo assim, dirigi-me para o meu escritório, decidida a fechá-lo, fosse como fosse. A persiana não abriu, avariou, o candeeiro não ligou. Avariaram-se os dois ao mesmo tempo. A sala já não tinha luz, nem natural, nem artificial. Para que não me restassem dúvidas.

Dias depois o meu irmão ofereceu-me uma viagem ao Brasil. Não queres ir visitar a tua amiga Erica? Queria. Mas não me apetecia viajar sozinha. Andar de cidade em cidade num outro continente.

Os últimos dia e meio de viagem, fiquei sozinha no Rio. Que era para ir ao Corcovado, "ouvi". Sentia que um forte propósito da viagem era esse, desde o início. Todos me tinham dito para não ir lá sozinha, nem sequer de táxi, que se via logo que era uma estrangeira e era mais perigoso ainda.

Ou confiava no que sentia ou não. Fui.

E foi lá que tive uma das mais lindas experiências da minha vida. Um acontecimento mágico. Indescritível. Mas vou tentar: as nuvens começaram a formar-se, curiosamente, lá em baixo. Um forte nevoeiro começou a subir e de repente envolveu a imagem do Cristo. O sol incidiu sobre a imagem que ficou a parecer feita de luz...não se via absolutamente mais nada...só a imagem, em luz...e senti como se o Céu se tivesse materializado na Terra...senti como se estivesse à frente d'Ele, no Céu... acho que também nunca contei isto a ninguém.

Nesse mesmo dia embarquei de regresso e três dias depois, no dia seguinte ao dos meus anos, fui convidada para estagiar onde trabalho agora.

A seguir...vocês já sabem.

Aos 17 anos não consegui afastar-me do namorado e dos pais para seguir o meu caminho. A vida deu-me uma segunda oportunidade, só que agora tive que deixar o meu filho, que também tem 17 anos. Muito mais dificil.

Com isto tudo fui aprendendo o sabor da liberdade. Que não tem preço.


Agora vivo sozinha. Durante a semana. E é dos maiores prazeres que tenho na vida.

Ontem tive mais um sinal da minha autonomia. O João, meu afilhado, e a mulher, Mariana, ofereceram-me uma caixa de ferramentas para quando precisar de fazer arranjos na casa...Achei tão engraçado...é que já tinha escrito este texto mas ainda não o tinha publicado. Porque afinal faltava esta cereja em cima do bolo...a minha própria caixa de ferramentas...nunca pensei...

Mil beijos

Olinda Cris

22 comentários:

Anónimo disse...

Ainda nem sei bem como vim aqui parar… (ou melhor até sei, lá estou eu de novo a fugir!)
Nada acontece por acaso, tudo tem um propósito…
Estas palavras irradiam luz, entrega, fé, … e digo isto do fundo do coração, porque foi o que senti, um calorzinho libertador, quando ouvi este texto, na meditação de quarta…
A fé abre o canal. O seu texto libertou-me, abriu as minhas asas e fez-me voar para além do controle, aquele que tantas vezes temi perder, aquele que muitas vezes me afastou da luz.
Mas senti que aqui aprendi a voar, guiada pela luz dele…
Eu que adoro escrever, que sempre escrevi, senti a minha essência brilhar e crescer e de repente dei por mim, aqui … a voar, a voar… a sonhar…
Obrigada por ter deixado este rasto tão forte de luz… E como Jesus diz: “A melhor maneira de te conectares com o céu é viveres o momento presente. Este momento único, que quando passa, não volta mais.”
“Vive o agora, este momento, e receberás a verdadeira inspiração para seres quem és.”
Obrigada por partilhar, e dei por mim de olhos fechados, a flutuar devagarinho, muito devagarinho, e senti o meu coração vibrar, escutei a sua voz e apenas me dizia: A liberdade é seres tu própria, sem máscaras, sem medo, escreve à Olinda, e expressa o que sentiste, este momento foi único e por isso aqui ficou este registo.
“ A Liberdade é mágica”...

Cris disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cris disse...

Estou muito feliz por ter gostado! Ao mesmo tempo, intrigada...intrigadíssima, porque quando o texto foi lido na aula não foi dito que era meu...E como é que veio aqui parar, de facto intriga-me...Mas o que interessa é que estou a ler o seu testemunho, que me deixa mesmo muito feliz! Sobretudo porque
o entendo como um sinal para alargar este blog, que só tinha dado a conhecer a alguns amigos...E como não há acasos... Obrigada, e mesmo não sabendo quem é, gosto de si!

Cris disse...

Estou aqui a pensar como é curioso que tenha escrito que a liberdade é sermos nós próprias, sem máscaras, sem medos...e que por isso me escreveu...Na verdade eu estava à espera de um sinal para divulgar mais este blog, e tinha previsto que esse sinal seria receber um comentário de alguem a quem eu não tivesse mostrado o blog...que é o seu caso, aliás nem sei quem é...O que quer dizer que o sinal para eu me expôr mais, retirar mais máscaras, e enfrentar mais medos, através da divulgação do blog,não podia ser mais claro!...Obrigada!

Anónimo disse...

O texto marcou-me de tal forma, que tentei encontrá-lo e sem esforço vim aqui parar... Até eu própria me espantei... A única coisa que sei é que nem pode imaginar o quanto mudou a minha vida. Parece que estou a hiperbolizar mas não... É mesmo verdade... Porque me deu ideias, abriu as minhas gavetas que estavam fechadas há muito tempo. Quando estiver consigo, ou melhor quando for quarta feira, digo-lhe quem sou. Sabe que encontrei amigos que não via há 33anos, enquanto pesquisava o blog e li-a com grande emoção os seus textos. Que nada disto para mim é novo... Não vale a pena racionalizar,porque sou tão mental, que me deixei pela primeira vez levar, levar, fluir... O texto dos livros,foi excepcional, o do comboio, ...
Para não falar dos outros textos, relativos ao IPO, porque estou ligada à área da MTC, e sou aí muito assídua no projecto, quer nas TEI, quer na Limpeza, quer nas Quartas etc. O meu crescimento interior tem sido incrível. E desde muito pequena que escrevo, hoje tenho 43 anos, e quando li os seus textos, a pontuação, era-me tão familiar que ... Não sei, apenas sei que me abriu o coração, e por isso aqui estou. Muito, mas muito grata por me ter respondido.
E o mais grandioso é que além de me abrir as gavetas há tanto tempo fechadas, abriu o meu coração.
"A liberdade é mágica"...

Cris disse...

Deixa-me mesmo muito feliz! Muito obrigada! Na quarta-feira lá a espero, para a (re)conhecer e lhe dar um abraço sentido!

Anónimo disse...

Eu é que tenho a agradecer...
Já nos conhecemos, mas talvez não se lembre de mim... E sabe outra coincidência e não são coincidências, mas sim sincronismos, também estudei Direito, mas não aguentei a pressão e desisti... daí o seu texto sobre a liberdade também me ter tocado bastante.
Até Quarta...
" Todos os caminhos vão dar ao mar. Mas o caminho da felicidade é só um, e este é único e especial " ...
É esta felicidade que sinto e dar-lhe-ei esse abraço de todo o coração...
" A liberdade é mágica, é mesmo mágica "
:)

Anónimo disse...

Acabei agora de ler o teu blog,mas o mais engraçado e que ligo o computador e apareceste logo tu.Porque?

Olinda Cristina disse...

Porque será?... Talvez se eu soubesse quem está a falar comigo pudesse responder...Que tal?

Olinda Cristina disse...

Dar-lhe hoje o abraço sentido foi muitíssimo gratificante! Fiquei sinceramente feliz! Já fui ver o blog e adorei! Fantástico! Muitos parabéns e mais uma vez muito obrigada!

Lurdes disse...

Que momento tão agradável!
Sinto uma plenitude imensa depois de termos conversado. São daqueles momentos que as palavras não podem descrever...
Ali pareceu que não houve tempo, nem espaço... Ou não houve mesmo!
Obrigada por teres esperado para nos encontrarmos, apesar de já não ser surpresa!!!
Obrigada por teres gostado do meu site (blog),praticamente ainda não tem nada, mas tem o principal, que não poderia nunca deixar de mencionar:
Foi graças a ti, que perdi o medo e me atirei para concretização deste sonho.
Que bom! Este abraço!
Continua a escrever porque tenho a certeza que vais escrever um livro...
E quero estar na primeira fila, a apoiar-te... Porque a energia que a tua escrita transmite é ... de uma grandiosidade, de uma experiência de vida e de amor, que deve obrigatoriamente ser transmitida.
Até já nos tratamos por tu!!!
Continua Olinda...
Um grande abraço
Lurdes

Olinda Cristina disse...

Lurdes!!!!... Mais um passo em frente, agora já está aqui o teu nome...Foi mesmo como dizes, um momento sem espaço e sem tempo...como se já nos conhecessemos muito bem e há muito tempo...Tudo o que dizes me deixa a mim sem palavras...De facto o teu blog e a tua poesia são excelentes, até já recomendei à Lena que lesse porque é uma agrável descoberta...Muito agradável, mesmo! E olha, agora sou que te incentivo a continuares, porque o teu livro já começou...Muito bom este abraço, e daqui te envio outro. Obrigada!

Olinda Cristina disse...

Ah...e a forma como chegaste ao blog deixou-me siderada...Incrível.

Olinda Cristina disse...

E mais, quem diria que este texto, escrito já há um ano,iria ter hoje estar repercussão?!...A vida é mágica.

Lurdes disse...

Tens razão...
Passou um dia, e nem sei explicar a alegria que sinto, já não a sentia há muito tempo...
Parece que tranquilizei depois de nos encontrarmos, tenho uma sensação de reencontro, tão grande...
Como se te tivesse deixado de te ver há muito tempo e agora fiquei descansada porque finalmente nos encontrámos...
Isto é mesmo incrível!
Que grande alegria, voltarmos de novo a dar um abraço, aquele que já não dávamos há muito tempo.
Obrigada Olinda e como diz a Kleo:
Obrigada JC
Estava marcado desta forma, aliás já nos vimos várias vezes e de repente houve este chamamento, este acontecimento luminoso. Não deixei o mental controlar e resulta... seja o que for que aconteceu, foi inspirado na lógica lá de cima...
"Como diz o JC: " Estou aqui dentro de ti a fazer parte da energia e a ajudar-te a encontrares-te e a sentires, a sentires profundamente quem realmente és."
Continua a escrever... Gosto muito do último... Ai! Como é que te vou dizer isto outra vez: Gosto de Todos...

Olinda Cristina disse...

Realmente...também já pensei nisso, como já nos vimos tantas vezes e como só agora nos aproximamos e desta maneira...Digamos que a vida é surpreendentemente mágica! Ainda bem que gostas dos textos. É um grande incentivo para mim. Grande abraço Lurdes!

Lurdes disse...

Todas as aulas da Lena são especiais... Mas naquele dia senti que foi diferente. E foi mesmo, Senti internamente, aliás até comentei antes de saber de quem era o texto, que tinha sentido algo que eu costumo designar por estranho e que na verdade é diferente, que não sabia explicar bem o que era... Só dizia que a pessoa que escreveu aquele texto é uma pessoa especial.
E o mais interessante é que duas semanas antes tinha pensado desistir, não por causa da aula, mas outro factor. Meditei, e o meu coração dizia: Continua, não faças o que sempre fizeste, abandonar, não vás porque depois de tanto esforço para conseguires ir, vais deixar.
E decidi que continuava naquele dia.
E assim foi...
Hoje percebo o porquê!
Tanta coisa se passou, tanta, que aqui estou...
Depois de fazer uma retrospectiva, tenho a certeza que nada acontece por acaso... E se toda esta vivência foi um acaso. ainda bem que existem! Não foi felizmente!
Como o JC diz: "Porque os homens são iguais ás Galáxias.
Quando se chocam, ou até mesmo quando se cruzam, o destino já estava traçado...Com o ser humano é a mesma coisa. Quando atrai uma pessoa ou uma circunstância na vida, na frequência da vibração já sente se o encontro será para a atracção ou repulsão. Mas, sendo para atracção ou repulsão, o encontro já estava marcado há séculos."
Pois estava...

Olinda Cristina disse...

Abençoado encontro, Lurdes!

Pedro Quitério disse...

Para que seja o comentário nº 19 que é numero que detestava e agora suporto (aguardo dia que venha a gostar muito)e para comemorar as quase 19.000 visulizações, acho que é a melhor forma de o fazer.
Hoje revi alguns dos teus textos antigos, ajudado em muito pelo último texto da Lurdes em que refere o primeiro comentário dela a este texto "Freedom".
A liberdade é mágica realmente...
Beijinho
PQ

Olinda Cristina disse...

Pedro, e quase que o teu comentário era feito no dia 19 de Março, um ano depois do último comentário a este blog...Obrigada por estares por aqui e beijinhos.

Dicury disse...

Ai Olinda! Eu vou mesmo ler o teu blog todo! =,))
É que sinti mesmo uma vibração enorme quando li este teu texto!
Ler este lindo fragmento da tua vida ajudou-me imenso a fortalecer algumas escolhas difícieis que fiz e que tenho feito nos últimos anos...
Obrigado Olinda por este blog, por fazeres de ti um exemplo e partilhares isso com todos!
E mais um agradecimento profundo, pelos momentos, pelas palavras na consulta do dia 13! Foram autênticas bênçãos que me fizeram sentir nas nuvens! *_*

Vemo-nos no Dom este sábado? hehe =D
Diogotei

PS:
como dizer isto.. depois da consulta, entre corridas, tropeços, enganos a apanhar o metro e uma queda aparatosa dentro do metro sem quaisquer danos -LOL- perdi o comboio, percebendo depois que era impossível apanhá-lo e que todo o correrio foi inútil. xD
Acabei por ir no comboi asseguir, uma hora mais tarde, mas como um dos carros que ia a Montalegre se atrasou também, cheguei mesmo a tempo de ir com o pessoal como estava previsto. hehe
Mais uma sincronicidade pa colecção! hehehe xD

Olinda Cristina disse...

Eu é que te agradeço profundamente, Diogo. Nem imaginas o gosto de te ver por aqui :))))
E isso das sincronicidades, é mesmo assim. E é lindo !
beijo enorme e até breve.