quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

NÃO PENSAVA CRIAR UM BLOG


Olá amigos.

Não pensava ter um blog tão cedo mas hoje a Erica convenceu-me, também porque a Tati já tinha insistido comigo para o criar. Acabei por achar que era uma boa opção porque gosto de escrever para os meus amigos e contar-lhes o que se vai passando comigo.

Muito menos pensava que iria começar a escrever com o estado de espírito com que estou agora.

Passei um serão muito agradável a festejar o aniversário da Tati e cheguei a casa muito bem disposta. Como sempre que estou com ela, ri-me imenso. Quando cheguei liguei o pc porque estou sem sono e à procura de um video da Tati de bicicleta para colocar no facebook dei de caras com umas fotos do Zé Miguel quando estava internado no IPO.

Mais magro cerca de 30kg e enormes olheiras. Tive um choque. Ainda estou em choque. Pensei que ultimamente me tenho preocupado bastante com o excesso de peso dele. Que essa preocupação foi a que a minha mãe sempre teve comigo ao longo da vida. Que me azucrinou por causa disso. Que ainda não me curei disso. E que estou a repetir o que ela fez comigo, embora a outra escala, com o meu filho. Sempre escudada na saúde dele. Mas afinal essa tb era uma das preocupações dela. E nem por isso deixou de me fazer feridas que permanecem até hoje. E quando vi o Zé nas fotos naquele estado pensei em como ele está lindo gordinho!!!! E em como é milhões, bliões, triliões de vezes, melhor ele estar gordinho do que doente... Meu Deus, como nos esquecemos tão depressa do que é mais importante. Tão depressa. Não me quero esquecer. Não me devo esquecer. Não me posso esquecer. A vida não brinca.

Ainda esta segunda feira tive a noção da quantidade de coisas de que já me tinha esquecido. Fui com o Zé ao IPO à consulta de rotina e fazer exames. Assim que entramos na enfermaria para fazer análises, dei de caras com um rapaz, já de barba, que nunca o tinha visto, e imensas peladas na cabeça. Estava cor de cera. Senti que ele devia estar muito mal e fiquei logo com os olhos cheios de àgua e a pedir com a minha intenção ajuda para ele. Passado um pouco ele começou a contorcer-se com dores e percebi que as enfermeiras lhe pediam paciência para esperar até a medicação fazer efeito. Pareceu-me que talvez ele tivesse tido uma reincidência. Acabamos por ter q passar quase todo o dia lá, e andei o tempo todo com os olhos cheios de lágrimas. Tantos, tantos, meninos novos...parece uma epedemia....A 1ª vez que tive essa impressão de que o cancro parece uma epedemia foi quando num dia em que o Zé estava internado, deu entrada no quarto ao lado a filha de 3 meses da psicóloga que chegou a atender o Zé lá no IPO. Tinha deixado de a ver quando entrou de baixa perto da data do parto e voltei a vê-la nesse dia, já com a bébé de 3 meses, mas tb para ser tratada a um cancro. A sensação com q fiquei foi q parecia que os pacientes dela tinham pegado à bébé a doença quando ainda estava na barriga...

Custou-me mais assistir a tudo isso na 2ª feira, porque como já lá não ia desde Setembro parecia que me estava a desligar dessa realidade...mas é bom que não me esqueça do que a vida me quis ensinar...para meu bem...e mesmo assim, nunca se sabe...essa foi talvez a principal lição: nunca se sabe.

E agora vou chorar que tenho o peito a arrebentar...

Mil beijos

Olinda Cris

3 comentários:

sara.coelho.barbosa disse...

Nunca se esqueçe, para mais tarde, não ter de voltar lembrar...
mil besos

Olinda disse...

Olá minha querida
Foi com muita emoção que li a 1º pag do teu blog...admiro a tua coragem e revejo-me nas tuas emoções. Vou na proxima semana a Coimbra com o Ruca, para uma nova consulta,tou com o coração muito apertado!!!Nos ultimos exames, o Tac Pulmonar identificou uma mancha, que ainda não identificaram como metástese, mas que eu sei que poderá ser...mas eu peço a Deus todos os dias e a todas as horas, que não seja nada...mas resta aguardar e viver com esta angustia.

Um beijo grande para o Zé, e fiquei mto feliz por saber que está bem.
Para ti um grande abraço de amizade e muita cumplicidade.

Linda

Olinda Cris disse...

Olá querida amiga!

Tb eu fiquei com o coração muito apertado com o q contaste....é uma reacção instintiva, é o nosso medo, mas acredito sinceramente q tudo vai correr muito bem, vais ver. Acredita amiga. Vamos torcer muito e enviar muita luz para o Ruca. É só um susto. Vamos aprendendo a viver com esta angustia e com este medo.

Estou convosco sempre. Sempre.

Mil bjs para os dois e abraços muito apertados. Vai dando notícias por favor.