domingo, 18 de dezembro de 2011

DE ONDE VENS

Deitada, preparava-me para dormir. Liguei a música para adormecer mais fácilmente e peguei no Livro da Luz. Assim que lhe toquei comecei a chorar. Apercebi-me que tinha estado a repimir o choro desde que tinha entrado em casa e ouvia o barulho dos netos e filhas da minha senhoria, no andar de cima. Chegaram para passar cá o Natal (uma delas vive em Paredes) e isso fez-me sentir ainda mais saudades do meu filho e ter a sensação que estava a perder a oportunidade de passar com ele estes dias que antecedem as festas. Tudo parecia que me fazia sentir ainda mais sozinha. Percebi que estava a reprimir a minha tristeza porque tenho a tendência a dizer a mim própria: "Ele está bem, está vivo e isso foi o que mais pediste. Por isso não te queixes."

E enquanto chorava Jesus começou a falar comigo. A dizer-me que eu estava frágil e que manter-me frágil era o que eu mais precisava. Disse-me: "O teu ego está esmagado. Precisamente por quase nada ser como tu querias, por não teres tido quase nada do que querias. E se a tua vida foi assim, foi porque à força de não teres nada aí em baixo a que te agarrares, tiveste que olhar para cima."

É verdade. Não tinha dinheiro, não tinha relacionamentos saudáveis (nunca tive) e era gordinha. Mesmo nos muitos anos em que me mantive magra torturava-me para emagrecer mais. Aliás, tudo na minha vida era uma tortura para mim. O trabalho, então...Sempre fui complexada e sempre me senti uma fracassada. Não tinha sucesso em área de vida nenhuma. Achava eu. Era assim que me sentia. Agora sei que tudo aconteceu para esmagar o ego e poder olhar para a minha alma.

"Hoje és realizada espiritualmente. (Quando Jesus diz isso eu tenho sempre noção do trabalho que ainda há por fazer mas percebo o que Ele quer dizer) Quantas pessoas conheces tu realizadas a esse nível?(sabia que Ele estava a exceptuar as pessoas com quem trabalho, que aliás foram elas que me ensinaram tudo). Quantas pessoas, de onde vens, fizeram o teu percurso? Sei que vai ser difícil para ti escrever isso, mas é importante que escrevas: Nenhuma."

"É hoje que te vou dizer porque nasceste na terra em que nasceste. Tinhas forçosamente que te sentir fracassada no lugar e meio onde o sucesso foi apenas e só material e onde isso é mais evidente e valorizado. Agora pergunto: Quantas pessoas conheces bem sucedidas profisssional e económicamente? Muitas, não é? Aonde é que o progresso económico conduziu a Humanidade e o Planeta Terra? E quantas conheces bem sucedidas espiritualmente?"


Mantive-me em silêncio.

"E não estou a falar de monges nem pessoas religiosas. Porque isso não quer em nada dizer que são espirituais. Dizer mantras da boca para fora é fácil. Dizer orações, da boca para fora, é fácil."

"Difícil é fazer o que tu fazes. Difícil é ir ao mais fundo de ti. Onde estão guardadas dores e emoções desconhecidas. Onde está guardado um passado desconhecido e muitas vezes assustador. Mais difícil do que regredir a vidas passadas sem saberes o que ias encontrar, foi regredir àquelas em que sabias exactamente o que ias encontrar."

"Conheceres isso, voltares a sentir isso e escolheres mudar. Escolher pedir perdão. Escolher perdoar. Escolher perdoares-te. Escolher não julgar. Escolher enfrentar o medo. Escolher responsabilizares-te. Escolher priorizares-te. Escolher amar. Escolher amar incondicionalmente. Escolher conhecer o céu. Escolher deixares-te guiar pelo céu. Escolher cumprir o propósito para o qual nasceste. Quem fez? A não ser as pessoas com quem trabalhas, quem conheces que tenha ido tão longe?"


Continuei em silêncio.

"Por isso, o sucesso não é o que tu pensavas que era. A coragem, não é o que tu pensavas que era."

"De onde tu vens, mais alguem veio contigo?"


Silêncio. Ele sabe que não. Ele sabe que nenhum familiar, nenhum amigo, acredita no que eu acredito. Ele sabe que nenhum me acompanhou, nem sequer apoiou. Sempre senti que para muitos deles, senão a maioria, sou maluca. Foi das grandes dores que enfrentei neste percurso. Embora a amizade, nem minha, nem deles, nunca tenha sido posta em causa.

"Dizem que não acreditam. Têm medo ou têm vergonha. Na verdade, nenhum deles tem coragem. Nenhum deles sabe quem é. Nenhum deles sabe porque nasceu. Nenhum deles sabe o que anda cá a fazer. Sejam bem sucedidos económica, profissional, familiar, socialmente, tenham todos os conhecimentos que julgam importantes, na verdade não sabem a única coisa que interessa: quem são."

"A maior parte continua a fazer escolhas por medo. Não mudam. Não evoluem. Não sabem porque é que as suas vidas é como é. Porque é que as coisas acontecem. Não sabem o porquê das dificuldades, nem o porquê das facilidades. Menos ainda o que fazer com elas."

"Percebes agora o caminho que percorreste? Percebes que tiveste a coragem de fazer o mais difícil?"


Quando parei de chorar, pousei o Livro da Luz, ao qual me tinha mantido agarrada o tempo todo, voltei à sala e liguei o computador para escrever tudo isto. Sentia-me cansada e sem coragem para contar tudo.

"Vai-te deitar. Vai dormir. Estás cansada. Depois escreves. Eu sei que és comprometida." E fui.

Só hoje me senti capaz de escrever.

Pedi-Lhe uma mensagem do Livro da Luz, que servisse como uma espécie de comprovação de tudo o que tinha ouvido. Tirei duas peças: mensagem nº 220.

"DEVAGAR

Eu estou aqui.
Na realidade, eu estou sempre aqui.
Tu só tens de te preparar para me receber. Só tens de te preparar para receber a minha energia.
Devagar.
E para receberes a minha energia devagar, tu próprio tens de estar assim...devagar.
Para que as tuas células se abram para me receber. Para que elas, ao se abrirem, soltem todo o peso que possuem. Toda a negatividade.
E eu irei absorver essa negatividade, e trocar os pólos.
Onde estava o escuro, agora está a luz.
Onde estava o som, agora está o nada.
O vazio.
E é nesse vazio que a alma se vai manifestar. E nessa manifestação estarei eu, em toda a minha magnitude. Em toda a minha plenitude.
Porque é em cada célula que eu mais existo pleno, e é o somatório das células que faz de mim o que sou hoje.
Plena energia.
E é nesse lugar da terra, ao vibrar tão alto, que te aproximas do céu e vens dar a mim.

JESUS"


(Foto que tirei em Santo Amaro de Oeiras, 19.12.2012)

16 comentários:

Anónimo disse...

O que eu admiro essa capacidade de se expor assim! Eu que nem sou capaz de aceitar as dores que teimo em esconder…

Olinda Cristina disse...

Obrigada :) Eu ainda aqui estava a corrigir alguns erros no texto com a convicção que só amanhã é que alguém o leria, e de repente ler o seu comentário foi uma sensação muito agradável...Obrigada e abraço.

Essencialma disse...

As tuas palavras calaram as minhas...
e vinha escrever um post no meu blog, e vi o teu...claro que não pude deixar de fazer referência a isso!!

Tu escreveste várias coisas, que para mim têm sido conclusões recentes...fruto de dar entendimento a tudo isto que se sente...e essa questão do ego é uma delas...rendi-me há necessidade, por mais que trabalhe de forma passiva as emoções, de haver acontecimentos que vão lá, dar mais uma martelada no ego, aliás quando a sinto, lembro-me que a consciência de ter o signo do Zodíaco com maior ego, me fez pedir, que se fosse preciso, força!! Ás vezes não tenho mesmo juizo :P
E particularmente, depois da ultima pude ver em como se abriu um espaço, um espaço que me permite ver melhor...mas literalmente senti essa fenda a abrir-se no peito, no momento.

E depois...a questão das escolhas e o "maluca", tenho me sentido tão, mas tão maluca ultimamente, fruto do risco, do confiar no inconcebível, do fazer coisas que nunca faria, em prol desta minha evolução...mas fiz, e faço...
E quando vou comparar com pessoas que têm o que supostamente eu queria, quando estou perto de pessoas, que não são malucas...que têm o mínimo de segurança, que eu queria...
o mínimo de estabilidade, que eu queria...
Vejo que elas podem ter o que eu gostava de ter, mas não têm a vida que eu quero para mim, vejo em como elas conseguem viver assim, mas eu não conseguia...
Vejo em como elas não sabem quem são, mas não têm nada dentro delas que as faça querer saber...e reparo como eu não conseguiria viver assim!!
E acabo por sentir, que não tenho nada do que queria, mas gosto da minha vida, não para a manter tal como está, mas que estou feliz das bases que criei, e que me permitem continuar esta construção...

O que significa, que não trocava as minhas escolhas, a minha vida, pelas deles, ou pelas coisas que têm e que eu gostava de ter...
E a certeza disto já dá uma grande tranquilidade...

E por tudo isto, a frase que mais gostei foi esta...

"Por isso, o sucesso não é o que tu pensavas que era. A coragem, não é o que tu pensavas que era."

Identificar-me mais com este teu texto, não era possível...

Beijo muito grande, e desculpa a extensão, mas desta vez, não consegui controlar! :)

Cláudia

Lurdes disse...

Acordei e nem sei bem porquê, sabia que já estava publicado o texto que era preciso para tanta coisa, e principalmente para mim...
Li-o, e espelha de uma forma tao brilhante e transparente, tudo o que vai dentro de ti... De onde vens...
Esta partilha sincera e que encaixa na perfeição em quem está mexido e quem nao se deixou mexer, vem ajudar a nao se sentir único neste caminho de dualidade vida/morte que me vai acontecendo momento a momento numa caminhada espiritual de que sempre fugi, de que sempre procurei... E com as tuas palavras de ceu, de luz, me sinto uma sortuda por tudo... E vou ter que te dizer que no inicio do próximo ano, estarei aqui minuto a minuto, a trabalhar-me para um dia poder sentir, um só bocadinho do que a vida me propôs.
Amiga mais uma vez, a nossa amizade, foi a melhor coisa que o ceu, me propôs e aceitei... Porque ele propúnhamos e eu fugi...
Obrigada por partilhares assim, como só tu o sabes fazer.
Bj mto Gd
Lurdes jóia

Pedro Quitério disse...

Há dias que buscava palavras novas no teu blog...
Não me vou alongar muito, apenas dizer que as palavras que li, refletem uma vida abençoada e, muito para abençoar as pessoas que as lêm.
!Que bom é poder sentir o porquê, que bom é poder sentir quem és!
Foi como um presente de Natal este texto. Que Natal sejam todos os nossos dias...
Abraço forte.
PQ

Olinda Cristina disse...

Cláudia, o que mais lamento hoje é só agora ter lido o ultimo texto do teu blog e por isso não ter ter agradecido quando hoje te encontrei. Foi uma agradável surpresa ver-te e poder falar contigo, mas lamento não ter agradecido como devia. Fiquei muito emocionada quando agora li a referência que fizeste a este blog... e agradeço-te agora com todo o coração. Escreves com uma facilidade impressionante e assitir à tua evolução provoca-me uma emoção idêntica à que assisto quando leio o blog do David. Muitos e muitos parabéns, linda Cláudia. És um doce! Beijo e abraço apertado.

Olinda Cristina disse...

Lurdes, amiga, hoje foi um dia cheio...ter esatdo contigo no início do dia, e com a Cláudia ao fim do dia, foi uma prendinha para mim. Vou esperar ansiosamente pelo brinde prometido e já sabes o quanto te agradeço por tudo. E ainda bem que deixaste de fugir de mim...foi a melhor coisinha que fizeste...lol...digo isto por mim. Beijos enormes amiga.

Olinda Cristina disse...

Pedro, as tuas palavras são um privilégio...obrigada, sinceramente. E como já te desejei no teu blog, Bom Natal também para ti! Abraço apertado.

Essencialma disse...

Não tens nada que lamentar, nem nada para agradecer!!
O que escrevi é bem merecido!!

E o maior agradecimento que me poderias dar, dás sempre...é a maneira como me recebes sempre que me vês, não há agradecimento melhor!!
E acredita que agradeceste muito bem!!

Beijo muito grande, e obrigada, obrigada mesmo... é mesmo muito bom sentir a amizade!!

José Jorge Duarte disse...

A minha "noitada" chegou 3 dias depois. 3 dias depois li o que escreveste. A meio da noite, já quase manhã venho dizer-te - Obrigado, muito obrigado.
Um xicoração imenso

zejorge

Pedro Quitério disse...

A foto que juntaste depois de publicar o texto intitula-se:

"A caminho do Céu..."

Soberba e linda.

PQ

Diario de um Sonho disse...

Já ia desligar o computador e deu-me saudades tuas apesar de ainda ontem termos estado juntas. Por isso vim ao blog.
Cada vez que leio uma publicação tua sinto quase sempre o mesmo. " Este texto é o melhor e mais intenso de todos". Parece-me que o teu blog é que é intenso, profundo e reflete a pessoa comprometida que és pois sei que foi bem dificil escrever este texto, mas assim mesmo ele foi escrito.
Quanto a foto: LINDA e completamente em sintonia com o texto. O camino faz-se sozinho... inguém o faz por nós...
Parabens!

Olinda Cristina disse...

Zé Jorge, eu é que te agrdeço com um abraço muito apertado para que sintas o quanto eu gosto de ti...Mesmo muito.

Olinda Cristina disse...

Lena, sabes que eu hoje abri mais do que uma vez os meus email só para ver se tinha email teu??? Porque como tu dizes, ainda ontem nos vimos e as saudades já são tantas...Tu sabes, amiga, o peso que as tuas palavras têm para mim, o que representam, e só uma pessoa que me conhece como tu, por dentro e por fora, pode saber o difícil que foi para mim escrever isto. Obrigada minha amiga e um abraço cheio de amor para ti e para o Rui.

Olinda Cristina disse...

E mais beijos para a Cláudia e para o Pedro, como respsota aos seus últimos comentários.

Carla disse...

Olá Olinda,
Não me conheces(vou tratar-te por tu, desculpa mas é a forma que me surge), mas eu conheço-te de frequentar os cursos no Projecto. Soube pela minha irmã (Anabela Mimoso, e que fez uma terapia contigo) que tinhas um blog. Na altura não liguei. Achei interessante mas não liguei. Á umas semanas atrás Ele diz-me em meditação para ir ao teu Blog. Por sugestão da minha irmã enviei mail ao Projecto a pedir, pois ela não tinha o Blog nas coisas dela. Desde que tive o contato do blog, tenho-o lido. Ainda ontem pensava, no fim de ler tudo, e estou a ler dos mais antigos em diante, vou testemunhar a delicia que é o teu Blog. Mas hoje ao ler "De onde Vens", emocionei-me do primeiro ao ultimo paragrafo....e senti que era o momento de enviar uma mensagem, não sei porquê mas senti que é agora. Aprendi (relembrei-me, se calhar é a palavra mais adequada)a entrar em mim, coisa que nesta vida ainda não tinha feito com consciência. Bem, não me vou alongar porque talvez ainda volte a comentar mesmo antes do ultimo post. Fecha-se um ciclo de escolhas pelo ego na minha vida e entregando-me à vida(e a Ele)vou abraçar o que for e o que ela me propõe sabendo que afinal não estou sozinha... Á minha volta ninguém me entende, mas fui deixando de valorizar, pois compreendo que é para me fazer mergulhar ainda mais na fé que conquistei com a ajuda do Projecto. Por dentro, sinto-me acompanhada e é bom. Esta mensagem tua bateu-me forte cá dentro porque identifiquei-me e até parece que Ele estava a falar-me através do teu texto. Obrigada!
Carla - Madeira