sexta-feira, 30 de setembro de 2011

HAPINESS FOR 30 DAYS



Hoje foi o último dia do mês de Setembro de 2011.

O mês mais feliz da minha vida.

Comecei a sentir-me muito feliz no dia 1. Primeiro dia de trabalho depois de férias.
E cada dia que foi passando tive mais motivos para me sentir feliz.

Desde há dois anos que vivo os momentos felizes com outra intensidade. E sempre os fui tendo. E na verdade, ao longo da vida sempre tive momentos e dias muitos felizes.
Nunca tinha tido era 30 dias seguidos de felicidade.

Desde há uns dias que andava a sentir que quando chegasse ao último dia deste mês tinha que escrever sobre isso. E ontem depois da meia noite, ia começar a escrever e "ouvi": O último dia ainda agora começou, é só no fim deste dia.

Que é agora.

E de manhã acordei com um toque de mensagem, às 8,30h. Uma mensagem da Lurdes Jóia a dizer-me que a máquina que me tinha emprestado ontem, afinal não era emprestada, era oferecida. A mesma máquina que ela tinha pensado emprestar-me em Julho, mas que acabou por ser substituída pela Pink (já aqui contei a história) que avariou há 2 dias. Exactamente 2 meses depois de ela ma ter oferecido. Resisti o que pude à oferta de hoje, mas acabei por não ter mais argumentos. É que esta serve os propósitos de aprendizagem de fotografia, que eu descobri, também este mês, que me dá um enorme prazer. E se não fosse um amigo a lançar-me o desafio e prontificar-se para me ensinar, eu não teria ainda descoberto.

Depois desta surpresa o dia continuou maravilhoso. Fui para a praia onde queria fazer uma meditação. ´Queria agradecer tudo o que me tem acontecido. Comecei por música clássica, e às tantas intuí que era para pôr uma música completamente diferente. Eye in the sky, dos Alan Parsons Project. Volume no máximo. E quando ouvimos com phones o som fica ainda mais intenso.

Fui puxada imediatamente para cima. Subi em espiral. Não parava de subir. A emoção foi tremenda. Só com o impacto da energia tão alta aque estava a aceder chorei copiosamente. Já não sentia a brisa do mar. Já não sentia o cheiro da maresia. Já não interessava se me viam chorar. Já não estava ali.

Entre muitas outras coisas, entre elas o entendimento da importância e repercussão do trabalho interior que fiz nos últimos meses e que contribuíu para esta benção, foi-me perguntado se eu não tivesse amigos a quem contar que estava tão feliz, se eu estaria na mesma felicidade. Se eu não tivesse como espalhar aos 4 ventos que estava feliz, se mesmo assim eu continuaria feliz. E se eu não tivesse Facebook, e se eu não tivesse Blog...E pediram-me para entregar tudo ao Céu: Amigos, Facebook, Blog, computador. Porque posso perder tudo. Fiquei arrasada. Fiquei em choque. Demorei muito tempo até encontrar em mim os motivos para me sentir ainda sim, feliz.

Mas encontrei, porque o principal motivo da minha felicidade é o estado de conexão.
Eu achava que tinha estes assuntos mais resolvidos. Dos amigos, do Facebook, do Blog. Em relação à família e sobretudo em relação ao meu filho, tento estar permanentemente atenta. Entregar todos os dias. Relacionar-me com o amor e não com o apêgo. Mas o resto...vou descurando...mais do que me apercebo.

Apesar da dificuldade do assunto com que terminou, a meditação foi fantástica. Porque cada vez se torna mais claro o motivo da perda acontecer. Porquê e o que fazer.

E a verdade é que eu não tenho nada do que eu achava que precisava para ser feliz. Nada. A não ser ter o meu filho vivo. Quanto ao resto, é uma completa surpresa. Tudo o que está presente na minha vida e de que eu posso desfrutar é muito diferente do que eu tive ao longo da minha vida. E por isso fui tão pouco feliz.

Ainda ontem eu dizia à Alexandra, que a maior surpresa agora é eu ser tão feliz, porque durante anos e anos, quase toda a minha vida, acreditei que não estava ao meu alcance.

É claro que quando eu digo isto, vem logo um medo. O medo da felicidade acabar já. E pior, medo que acabe de forma drástica. Mas que a vida não é felicidade, já eu sei. E que os trambolhões vêm com frequência, também. E que nada é garantido. E que tudo acaba. Para mais tarde recomeçar.

Aliás eu até tinha medo de não poder escrever este texto, conforma me tinha sido "dito" para fazer, porque tinha medo que o estado de felicidade contínua nem chegasse ao dia 30...

E quando terminei a meditação tinha uma chamada da Helena. Um convite para velejar. E o dia continuou e acabou em perfeita beleza.

E estou imensamente grata. Imensamente grata.

4 comentários:

Lurdes disse...

Que bonito!
Argumentos para quê???
Negar o que o céu nos dá, o que o céu nos mostra!!!
Estou feliz por ler e vivenciar nas tuas palavras, a tua felicidade...
E no final Velejar no Harmony (no words). Belo e ainda para mais com Pink Floyd...
As tuas fotos estão lindas...
Emanam luz, cor, sensibilidade, sei lá, emanam o que de melhor os teus olhos captam, ou será o teu coração? Ou o dele?
Seja como for pouco importa...
Momentos de felicidade que se prolongam é mesmo uma dádiva.
Um grande abraço
Um grande beijo
E a Pink está de férias... A Pink 2 dá seguimento, mais corajoso e aliciante... Desafios incríveis...

Olinda Cristina disse...

Lurdes, se não fosses tu não haveria fotos...se não fosse a Pink 2 (ou Silvie, de Silver, como eu hoje gostei de lhe chamar) as fotos não estariam tão bonitas.
Como já te disse, nem sei como te agradecer...Dádiva, sem dúvida.
Grande, grande, abraço, minha amiga!

Pedro Quitério disse...

Olá Olinda.
Antes de mais tenho que lhe dizer que a segunda foto, a do Harmony, está fantástica, com um enquadramento, equilibrio de luz e alinhamento horizontal perfeitos, quem sabe se foi fotógrafa profissional no passado...
E depois, depois não sei bem o que dizer...Essa noção de felicidade em relação ao que a rodeia...acho que sei o que é... e é maravilhoso dar-se valor ao que não tinha significado anteriormente... e é Booommmm.
Beijinhos e desejo que fim de semana a bordo do veleiro da Helena e Rui navegue com a maior felicidade.
E já agora.... que a Força esteja consigo e acompanhe...
Beijo e abraço

Olinda Cristina disse...

Pedro, estou feliz da vida com a apreciação que fez da foto que publiquei...muito obrigada!
E que também a Força esteja consigo e o acompanhe...Obrigada e beijo e grande abraço!