domingo, 8 de janeiro de 2012

LISBOA MENINA E MOÇA



- Cris, em que terra estás?
- Não estou em terra, estou em água. No mar e no rio.

Era o Pedro, hoje a ligar-me, e contei-lhe que naquele momento estava dentro da cabine do veleiro da Lena e do Rui, deitada, porque estava a enjoar por causa da forte ondulação (forte, para mim, só). E que tinha acabado de me lembrar dele porque a última vez que me tinha sentido assim tão enjoada foi num barco com ele e a Pinita, no Algarve.

Recomendou-me que fosse para a frente do barco, me deixasse apanhar vento e olhasse para o horizonte.

Mas não me apetecia mexer e resolvi ficar ali e tentar dormir.

Assim que começamos a navegar e percebi que a ondulação estava mais forte do que o costume, perguntei ao Rui se não seria melhor tomar um comprimido para o enjoo. E ele achou melhor não, porque a única vez que eu tomei dormi a tarde toda. E na verdade, nunca mais tinha voltado a enjoar, por isso não deveria ser necessário.

O mais engraçado, é que mesmo sem comprimido, dormi grande parte da tarde...

Quando me deitei primeiro senti o silêncio. E depois comecei a ouvir o barulho da água. E a sentir o embalo do barco. O embalo que me estava a enjoar.

E questionei-me como é que enjoo com o balanço da água, e não enjoo quando danço, por exemplo?

E o Céu respondeu-me: Porque quando danças és tu que controlas os movimentos do corpo. E aqui não. Aqui perdes o controle. É a água que provoca o movimento, não tu.

E disse-me para não tentar não enjoar, para não tentar nada, não fazer esforço nenhum. Só ir para dentro do peito. Fui. Cada vez mais fundo. Cada vez mais leve. Já não sentia nada. Só paz. E adormeci. Com a Mimi (uma cadelinha Yorkshire, que foi também uma prenda do Céu para a Lena) enroscada junto aos meus joelhos. De vez em quando eu acordava, ouvia a voz da Lena, do Rui e da Lurdes, lá fora, sentia o embalo do barco cada vez mais forte, agora sem enjoo nenhum, só como se estivesse a ser embalada para dormir, e sentia um bem estar tão grande que voltava a adormecer imediatamente.

Acordei no exacto momento em que estavamos a regressar à Marina. Ou seja, dormi durante horas. A Lena ajudou-me a concluir que não era só enjoo, era também exaustão.

Voltamos às gargalhadas e brindamos à nossa amizade e ao livro que eles ajudaram a materializar. Ou melhor, essa parte foi só deles. Sobretudo da cúmplice Lurdes Jóia.

Magnífico estarmos os quatro juntos ali, precisamente ali.

Tentei fazer um vídeo com o mínimo de qualidade quando estavamos em frente à Torre de Belém. Mas não havia meio de ficar em condições, por isso acabei por fazer esta compilação das várias tentativas (pelo menos dá para rir):



E a propósito de Mylene Farmer, o vídeo desta musica com ela e o "meu" Moby juntos (sim, porque tudo se entrecruza):

10 comentários:

Pedro Quitério disse...

Esteve lindo este domingo...
Da parte da tarde pensei ainda dar um pulinho até à zona ribeirinha, à semelhança de sábado...
Fiquei na varanda de casa a olhar para o Tejo e acabei por adormecer com o quentinho do sol...
Quando estavas a fazer estas filmagens e se o prédio onde moro estivesse mais perto também eu aparecia na varanda...assim só se vê ao longe, mas com um zoom forte...se soubesse que lá estavam fazia um adeus... Heheheheheheh
Belo passeio e bela soneca.

Abraço
PQ

Lurdes disse...

Foi um dia muito bem passado, muito divertido.
Muito bem dormido... LOL
Daqueles momentos que nunca se esquecem, nunca mais na vida se esquecem... Felizmente!
A vossa companhia é uma bênção, o embalar do Harmony, com o azul do céu, o azul da água, e belo som da navegação, e as nossas gargalhadas, são momentos para a vida... Para as vidas...
Adorei... O vídeo é só rir...
E a M. Farmer e Moby... Fenomenal...
Estávamos tão bem entregues ao Rui, à Lena e a Ele...
Em plenitude plena... ah ah ah

bj gd

Lurdes Jóia

Anónimo disse...

O video está muito dinâmico...quase que enjoei..eheheh
Pelos vistos mesmo com o enjôo filmar e rir! Vocês são muito giros. Nunca parem de ser assim..gozando a vida de forma saudavel e bem disposta.
Bj grande.

Graça disse...

Ei...o comentário não é anónimo...sou eu, Graça Ribeiro...
Vá continua a rir e a gozar-me por ser uma "nabiça" nestas andanças do Facebook.

Lurdes disse...

Tenho que comentar outra vez...
Ao ver o vídeo... Que grande dádiva... Mesmo!!!
Estávamos a ouvir o fado com aquela paisagem fabulosa...
Lisboa Menina e Moça
Menina...
Lindo...
Muito lindo...
Só agora me apercebi... Tem sido tanta dádiva, que demoro tempo a percebê-las...
Isto promete...
Só fiquei um bocadinho nauseada... O mais giro é que não foi no barco... Foi com o vídeo... Ah ah ah
Olinda Cris
Só tu... LOL
bjs
Lurdes Jóia

Lena disse...

Lindinha.
Temos que repetir e antes dos enjoos cantamos juntas uma canção à vida para gradecer estarmos juntos. Agradecer à vida por nos ter junto de novo e numa experiência feliz de novo.
Beijinhos
Lena

Olinda Cristina disse...

Pedro, quase que nos víamos! Parece que tiramos os dois uma bela soneca!
Abraço grande, amigo!

Olinda Cristina disse...

Lurdes, desconfio que ainda tens muito para rir à custa deste dia e à minha também. Acho estranho ao ouvir-me que fale tão devagar...ainda nem sequer tinhamos brindado...eu falo assim? Abraço gigante!!!!!!!!!

Olinda Cristina disse...

Graça, ainda bem que gostaste...Beijo grande para ti!

Olinda Cristina disse...

Lena, é isso mesmo, agradecer à vida por estarmos juntas de novo, e numa experiência feliz de novo. É isso mesmo. Diz ao Rui que escrevi isto (lol). Só não posso é cantar...senão quem enjoa são vocês...(lol). Beijos enormes, amiga!